8 de Janeiro de 2018 Cícero Araújo
Imprimir    E-mail

Astrônomos da PB ajudam a descobrir 122 chuvas de meteoros

Descobertas foram feitas por membros da Bramon, rede colaborativa de astrônomos amadores e profissionais, e catalogadas na União Astronômica Internacional

Astrônomos brasileiros contribuíram para adição de 122 novas chuvas de meteoros no catálogo da União Astronômica Internacional (IAU, na sigla em inglês) ao longo do ano de 2017. Somente na sexta-feira (29), 97 novas chuvas foram catalogadas. As descobertas foram feitas por membros da Bramon, rede colaborativa de astrônomos amadores e profissionais, que possui 12 estações de monitoramento e nove operadores de câmeras na Paraíba.

De acordo com Marcelo Zurita, um dos operadores na Paraíba e co-descobridor das chuvas, os meteoros – conhecidos popularmente como estrelas cadentes – podem possuir comportamentos previsíveis quando se originam de um mesmo corpo. “Descobrir esse comportamento é a missão da Bramon”, diz. “Emplacar 122 chuvas em 2017 foi um novo recorde que dificilmente será batido, tornando-se um fato histórico na pesquisa de meteoros. Hoje, mais de 12% das chuvas catalogadas são ‘brasileiras’”, comenta Zurita.

Além da Paraíba, Bramon está presente ainda em outros 19 estados do Brasil. Ao todo, são mais de 100 câmeras monitorando os céus noturnos do país, já tendo catalogado mais de 100.000 meteoros em quatro anos de atividade da rede.

“A base de dados da Bramon utilizada nas pesquisas possuía mais de 12 mil órbitas de meteoros catalogados, que associadas aos dados das redes europeias e asiáticas, possibilitaram aos pesquisadores brasileiros desenvolverem novas técnicas computacionais que, segundo outros estudiosos da área, revolucionaram o conceito de busca por novas chuvas de meteoros”, complementa Marcelo Zurita.

Segundo ele, “descobertas desta natureza possuem extrema importância para a comunidade científica, uma vez que o conhecimento da dinâmica orbital desses pequenos corpos celestes ajuda no entendimento das origens do sistema solar, além de fornecer dados importantes para prevenir possíveis choques de grandes asteroides contra a Terra”.

Em março de 2017, o Portal Correio noticiou a primeira descoberta de chuva de meteoros feita por brasileiros. Cinco astrônomos da Paraíba atuaram naquele estudo.

 

 

Redação 



« Voltar
 
Voltar ao topo ↑