5 de Fevereiro de 2018 Cícero Araújo
Imprimir    E-mail

Micro e pequenas empresas geram mais de mil empregos em 2017

Estado também foi o 9º do país que teve menor déficit de vagas no mês de dezembro

Mesmo em um cenário econômico que ainda dá os primeiros passos para sair da crise, as  paraibanas já despontam com alguns números que renovam o otimismo do brasileiro:  no que diz respeito ao mês de dezembro, especificamente, quando são comuns os saldos negativos de empregos em função da sazonalidade,
 
A Paraíba foi o nono estado do país que registrou a menor perda de postos de trabalho no mês, com 955 menos vagas nas micro e pequenas empresas (MPEs). As MPEs foram responsáveis pela geração de 1.077 empregos em 2017, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), fornecido pelo Ministério do Trabalho e Emprego.
 
Nas micro e pequenas empresas, o setor que teve maior queda em dezembro de 2017 no número de empregos gerados foi o da área de serviços, com um resultado negativo de 361 pontos. Em seguida, aparece o setor da construção civil, com 263 postos a menos. Em terceiro lugar, o setor do comércio, com 119 menos vagas, seguido da indústria de transformação com 116 menos vagas e a agropecuária, com 102 vagas a menos.
 
Para o gerente da Unidade de Desenvolvimento Territorial e Políticas Públicas, Luciano Holanda, além de demonstrar a importância das MPES na geração de empregos, a pesquisa reafirma a vocação empreendedora do brasileiro, que encontra motivação suficiente para ultrapassar os desafios em momentos de recuperação do ambiente de negócio no país.
“A atuação do Sebrae coordena uma série de esforços, através de seus meios de atendimento, consultorias e capacitações, além de fomentar um ambiente de negócio simplificado e desburocratizado, para que os empreendedores e empresários possam fazer a gestão de suas empresas com mais segurança”, afirma Luciano.

 
Brasil
 
Os pequenos negócios acumularam um saldo de aproximadamente 330 mil novos empregos, nos últimos 12 meses, na contramão das médias e grandes empresas, que foram responsáveis pela extinção líquida de 350 mil postos de trabalho neste mesmo período.
 
O acumulado do ano aponta ainda que praticamente todos os setores obtiveram resultado positivo, com destaque para as MPE do setor de Serviços, com um saldo de 206,4 mil postos de trabalho formais gerados, seguidas das do Comércio, com 90 mil novos empregos.

Apenas os setores da Construção Civil e da Extração Mineral registraram saldos negativos de 6,4 mil e de 2,1 mil, respectivamente. 

 

 

 

 

Redação 



« Voltar
 
Voltar ao topo ↑