14 de Novembro de 2016 Cícero Araújo
Imprimir    E-mail

Na técnica, na garra e na vontade AABB-Patos leva bate o COPM e leva o Paraibano de Futsal Sub-17

Habilidade, técnica, garra e força de vontade; tudo isso atrelado a muita emoção. Esses foram os fatores predominantes da grande final do Campeonato paraibano de Futsal Sub-17, que aconteceu no ginásio da Associação Atlética Banco do Brasil AABB em Patos. A equipe da casa que representava a cidade de Patos, recebeu na tarde deste sábado o Clube dos Oficiais da Policia Militar (COPM) de João Pessoa. 

O time patoense comandado pelo professor Júlio César, tinha a vantagem de jogar por um empate. No tempo normal os visitantes venceram por 4x3. Como no jogo de ida a AABB havia vencido por 3x2, o título foi decidido na prorrogação. 

No tempo extra prevaleceu a força de vontade, a técnica e a garra da garotada patoense. A AABB marcou 2x0, no placar agregado 5x4 para os garotos de Patos e mais um título para AABB. A torcida presente festejou mais essa conquista e entoou o grito de “O campe
Da esquerda pra direita: Júlio Cézar, Pedro Romero e Prof Vavau
ão voltou”. 

Palavra do treinador 

Depois da partida e comemorando o título junto dos atletas, o técnico Júlio César disse que o trabalho sério, a estratégia e a garra foram predominantes para mais essa conquista. “A gente sempre acreditou nesse grupo, tínhamos uma estratégia para o jogo de hoje e graças a Deus, deu certo, na prorrogação, mas o que vale é o título. Temos grandes jogadores nas nossas bases e isso precisa ser visto pelos clubes de futebol aqui de Patos, para que nossas promessas não sejam desperdiçadas”, disse Júlio. 

Presidente da AABB comemora e alerta para o celeiro de craques 


Para o presidente da AABB-Patos Pedro Romero, esse título vem reforçar ainda mais a fonte de craques que Patos possui. “Eu quero ressaltar aqui nosso potencial e nosso celeiro de craques, ele é muito extenso. A AABB na realidade é só u instrumento para mostrar essas promessas que estão ai à disposição, para mudar essa consciência e que possamos exportar atletas para nosso futebol profissional da cidade e de outras regiões. Tudo isso sem esquecer da formação cívica de cada um, pois se não conseguir formar atletas profissionais, trabalhamos a formação do cidadão”, afirmou Pedro. 
 
 
 
 
 
Blog Timaço da Bola 


« Voltar
 
Voltar ao topo ↑