31 de Julho de 2017 Cícero Araújo
Imprimir    E-mail

“Para os pobres de gratidão qualquer desculpa serve. Nunca me valeria disso”, diz Nadir

A vereadora Nadigerlane Rodrigues (PMDB) falou com exclusividade para o JORNAL DA MANHÃ, apresentado pelo radialista Célio Martinez, na Rádio Morada do Sol, 105,9 FM, sobre a repercussão que teve a indicação do nome do pediatra Dr. Umberto Marinho Junior, para a direção da Maternidade Peregrino filho, anunciada pelo próprio governador Ricardo Coutinho na tarde deste sábado, 29, quando de sua estada em Patos, onde participou do encontro estadual de seu partido, o PSB. Umberto substitui o colega Odir Borges, eleito prefeito de Catingueira em outubro de 2016. 

O nome do médico Umberto foi apresentado pelo deputado Nabor Wanderley com o apoio direto do deputado federal Hugo Motta, ambos do PMDB. Além do nome de Umberto, nomes como o da médica Iak Sodara e o da enfermeira Nadir Rodrigues foram cotados para o cargo. 

No caso de Nadir, havia um impedimento legal e como a Câmara não aprovou uma emenda a Lei Orgânica que permita o parlamentar se afastar para assumir cargos públicos sem perder o mandato, ela ficou de fora do páreo. Além disso, a própria Nadir já havia declarado que não tinha interesse de deixar a casa Juvenal Lúcio. Mesmo diante de tudo isso, aliados do prefeito Dinaldo Wanderley Filho (PSDB) não perderam a oportunidade de “solidarizar-se” com o que consideram traição de seu partido.

Em contato com o radialista Célio Martinez, a vereadora respondeu alguns questionamentos, dentre eles, se ela aceitaria o cargo de diretora da maternidade. “Não existia nenhuma possibilidade de eu assumir a Direção da Maternidade, até porque o Regimento Interno da câmara e a Lei orgânica do nosso município não permitem que eu assine contrato com Empresa que preste serviço à órgão públicos a exemplo da que administra a Matenidade Peregrino filho, segundo entendimento de alguns juristas. Também nunca foi cogitada minha saída para assumir especificamente a Maternidade, se a câmara tivesse votado a emenda que a vereadora Fátima Bocao apresentou, eu ou outro parlamentar do grupo, poderia afasta-se para da oportunidade a um suplente, mas não necessariamente teria que ser para assumir a maternidade”, explicou. Com relação ao fato colocado nas redes sociais de que ela teria ficado chateada por ter sido usada como peça de um jogo, Nadir disse:  “Não estou chateada com Nabor, se este cargo foi colocado à disposição dele, ele não precisava me pedir autorização para nomear alguém de sua confiança. Quanto ao jogo, que você me pergunta, não nasci pra ser peça, pois não sou metade, quando assumo  um compromisso sou inteira!”, ressaltou a parlamentar. 
 
Ela também negou que tivesse decepcionada com o deputado Nabor. “Não existe decepção, e se existisse, meu compromisso não é apenas com Nabor. Tenho compromisso com meus eleitores, que me elegeram nesse partido. Não estou na política de brincadeira, trabalho todos os dias para corresponder ao povo Patoense a confiança e o respeito que me foram dedicados. Antes de pensar em massagear meu ego, tenho  que lembrar que não cheguei até aqui sozinha”, lembrou a ex presidente da casa Juvenal Lúcio de Sousa.
 
Ela também comentou a informação de que o prefeito Dinaldo estaria tentando uma aproximação da parlamentar. “O grupo do prefeito me respeita, eles sabem que só assumo um compromisso para cumprir. Tenho certeza que nesse momento eles têm outras prioridades”, enfatizou. Para Nadir, a relação com o deputado não sofrerá nenhuma alteração e que manterá constantes diálogos abertos com o parlamentar. “Por ser Nabor o Líder do meu Partido, nossas conversas sempre acontecem de forma Franca. Quem me conhece sabe que sou muito transparente, e jamais me sentiria a vontade se fosse diferente. Nabor não me deve explicações”. 

Por fim, ela disse que sua admiração pelo deputado Nabor não foi abalada e que continua o tendo como grande exemplo na sua carreira política. “Venho construindo minha vida Política no PMDB que tem como líder Nabor, com o qual aprendi muito e, claro, é um grande exemplo para mim, mas também acredito em um fator que considero determinante que é a minha Genética. Sou rodeada de pessoas boas e comprometidas. Graças a Deus”, finalizou.
 

 
 
Por Célio Martinez


« Voltar
 
Voltar ao topo ↑